Revisão de Férias: dicas para relaxar com segurança - DRS Car | DRS Car - Serviços Automotivos

DRS Car – Serviços Automotivos

20 anos de experiência em mecânica automotiva

DRS Car – Serviços Automotivos - 20 anos de experiência em mecânica automotiva
Revisão de Férias: dicas para relaxar com segurança - DRS Car | DRS Car - Serviços Automotivos

Revisão de Férias: dicas para relaxar com segurança

Pessoa dirigindo carro Chevrolet

Fonte: Pexels

A chegada das férias é sempre um momento de planejar as despesas e os roteiros para aproveitar ao máximo com a sua família o descanso do trabalho e o recesso escolar. Para quem possui carro, esta é uma boa hora de dar uma escapada da rotina agitada da cidade e pegar a estrada em busca de aventura ou sossego, certo?

Mas para que isso aconteça sem nenhuma preocupação é muito importante ficar atento ao seu veículo e se certificar de que ele não vai deixar você na mão durante a sua viagem. É por isso que é recomendado realizar uma revisão de férias antes de embarcar para o seu destino!

Quer entender melhor esse procedimento? Nós, aqui da DRS CAR, separamos alguns cuidados e motivos para fazer essa avaliação no seu veículo. Confira!

Itens essenciais para ficar atento na revisão de férias

A fim de aproveitar seus momentos de lazer com toda a tranquilidade, é muito importante dedicar algum tempo antes de viajar para levar o seu carro a um profissional de confiança para verificar alguns itens importantes. Esse cuidado deve ser redobrado se faz tempo que o seu veículo não passa por uma revisão ou, mais ainda, se ele já passou dos 50 mil km rodados.

Veja mais em Revisão 50 mil km: como funciona?

Alguns dos principais itens que devem ser verificados antes de colocar o pé – ou, melhor, o seu veículo – na estrada são:

  • Pneus: aqui é importante prestar atenção em sinais que possam indicar desgastes, como bolhas, irregularidades nas bandas de rodagem e ressecamentos. Além disso, pode ser necessário realizar procedimentos como alinhamento e balanceamento dos pneus para garantir mais conforto e estabilidade na direção.
  • Fluidos: Seu carro possui alguns fluídos importantes para a lubrificação e bom funcionamento de suas peças, como é o caso do motor, da caixa de câmbio, do sistema de freios e da direção hidráulica. Portanto, na revisão de férias é sempre verificado o nível desse fluidos e, se necessário, é feita a sua reposição ou substituição.
  • Sistema de freios: um dos itens mais importantes para garantir a segurança do motorista e dos passageiros é a checagem do sistema de freios. Além da troca de fluído, como citamos acima, também pode ser necessário trocar alguns componentes desse sistema, como as pastilhas e discos do freio.

Você também pode gostar de: Quantos km dura pastilha de freio?

  • Bateria: independentemente do seu destino, seja litoral, serra ou interior, é normal que o consumo de energia do seu veículo aumente em comparação ao uso cotidiano. Essa exigência da bateria aumenta principalmente devido ao maior uso de ar-condicionado e sistema de som. Portanto, é indispensável verificar se esse item está em pleno funcionamento e, se for o caso, trocá-lo!

Porque a revisão de férias é importante para fazer uma viagem segura?

Conhece o ditado “é melhor prevenir do que remediar”? Pois bem, a revisão de férias serve justamente para prevenir que a sua tão esperada viagem seja comprometida por problemas que poderiam ser facilmente evitados. Além disso, também permite que você viaje tranquilo sem se preocupar com possíveis gastos de última hora e, o que é mais importante: sem causar riscos à segurança da sua família!

Portanto, não deixe de procurar um serviço de manutenção automotiva de sua confiança. Aqui na DRS CAR temos uma equipe altamente qualificada à disposição para analisar o seu veículo e garantir que ele esteja em perfeitas condições para enfrentar os mais diversos tipos de terrenos e adversidades durante a sua viagem de férias. Solicite um orçamento para poder curtir o passeio em família sem preocupações na sua mente!

Revisão de Férias: dicas para relaxar com segurança - DRS Car | DRS Car - Serviços Automotivos

Revisão de carros: quando fazer e o que ter atenção

Mecânica fazendo checagem em automóvel

Fonte: Honk

A revisão de carros é como uma manutenção preventiva. É nela que se verifica uma séries de itens indispensáveis para o funcionamento do veículo, para se certificar de que o seu carro esteja sempre em dia com as especificações do fabricante. Além de garantir mais segurança para as suas viagens, fazer a revisão também evita que você se depare com imprevistos, como o carro pifar a caminho de um compromisso importante ou mesmo prejudicar aquela viagem de férias que você tanto planejou.

Com certeza você já ouviu falar da importância deste procedimento mas talvez não entenda quando deve fazê-lo e quais são os principais pontos a serem observados. Foi pensando nisso que nós, aqui da DRS CAR, separamos algumas dicas sobre a revisão de carros. Confira!

Quando fazer a revisão do carro?

Conforme o veículo vai sendo usado, as suas peças originais de fábrica vão apresentando desgaste e os sistemas passam a ter seus funcionamento prejudicado, necessitando de ajustes e trocas. Todas essas peças, é claro, saem da montadora com vida útil e prazo de validade, mas muitas vezes, dependendo da forma que você utiliza o seu veículo (seja para lazer ou trabalho, por exemplo), elas podem apresentar problemas muito antes disso.

E, o que é pior: muitas vezes sem dar sinal de que há um problema até simplesmente parar de funcionar.

É por situações como essas que os fabricantes indicam no manual do proprietário a realização de revisões periódicas para avaliar e, se for o caso, realizar os ajustes necessários para o bom funcionamento do veículo. Em geral, a maioria das montadoras indica que a revisão seja feita a cada 10 mil quilômetros rodados ou seis meses de uso. Mas tenha em mente que, quanto mais tempo você rodar sem revisar o seu carro, maior é a chance de ele deixar você na mão!

Você também pode gostar de: Revisão dos 50 mil km: como funciona?

O que é feito na revisão

Existem vários pacotes diferentes para a revisão de carros, com serviços pensados para a finalidade de uso do veículo e, principalmente, para a quilometragem rodada, já que alguns itens do veículo precisam de revisão mais cedo do que outros.

Mas, em geral, existem alguns itens que tem verificação indispensável em todas as revisões, como:

  • Troca de óleo com filtro;
  • Troca do filtro de ar e combustível;
  • Higienização do ar-condicionado;
  • Geometria e balanceamento;
  • Anéis de vedação;
  • Cristalização do para-brisas.

Vale ressaltar também que, além da revisão periódica, é importante manter alguns cuidados no dia a dia, como testar sempre as luzes (faróis, setas, de ré e freio), verificar o nível de óleo do motor e calibrar os pneus corretamente. São algumas atitudes que podem auxiliar no melhor funcionamento do carro e, principalmente, na manutenção da sua segurança e da sua família.

Mas lembre-se sempre: o restante dos itens precisa de uma revisão feita por profissionais de uma empresa autorizada pelo fabricante do seu veículo! Para contar com um atendimento ágil e de qualidade, conte com os especialistas da DRS CAR. Confira mais sobre a nossa revisão programada e solicite um orçamento!

Revisão de Férias: dicas para relaxar com segurança - DRS Car | DRS Car - Serviços Automotivos

Manutenção de ar-condicionado automotivo: como funciona?

Motorista interagindo com o botão de ar condicionado em carro

Fonte: Driving

Hoje em dia, praticamente todos os veículos são equipados com ar-condicionado, proporcionando mais conforto e bem-estar ao motorista e os passageiros. Agora, imagine essa cena: você está dirigindo o seu carro, indo ou voltando do trabalho, o trânsito está carregado e calor insuportável. Você vai ligar o ar-condicionado e… nada, ele não funciona. Parece um pesadelo, não é?

É justamente para evitar surpresas desagradáveis como essa que se recomenda realizar a manutenção de ar-condicionado automotivo com frequência. Esse procedimento é importante, inclusive, para evitar problemas respiratórios aos ocupantes do carro. Isso porque, quando em bom funcionamento, o aparelho vai filtrando os poluentes do ar, impedindo que esses micro-organismos sejam respirados pelos passageiros.

Sabendo da sua importância, confira neste post como funciona a manutenção do ar-condicionado automotivo e quando você deve fazê-la, para evitar ao máximo os prejuízos!

O que é feito na manutenção de ar-condicionado?

O filtro de ar é o principal responsável por barrar a entrada de impurezas pelo ar-condicionado. Sua função é, basicamente, reter as partículas de sujeira que passam por ele e fazer a filtragem para que apenas o ar puro entre no carro.

Mas, conforme o uso do carro, a poeira vai “grudando” no filtro e obstruindo a passagem de ar, prejudicando o funcionamento do aparelho. Por isso, de tempos em tempos é necessário trocar esse filtro, procedimento que é bastante recomendado na manutenção.

Além disso, também é muito importante realizar a higienização do ar-condicionado, que garante a limpeza de todo o sistema e remove os micro-organismos que podem ter acabado se alojando nos dutos do aparelho. Essa higienização é feita com produtos especializados e desinfecta o sistema com eficácia.

Em geral, apenas a limpeza é suficiente para sanar a maioria dos problemas do ar-condicionado automotivo. Mas para garantir o seu pleno funcionamento, são feitos também fazer alguns testes para identificar se há alguma rachadura, dano ou falha nesse sistema. O que, em caso positivo, poderá demandar a troca de peças, a recarga do gás, a troca do óleo do compressor do ar-condicionado ou até mesmo a substituição de todo o sistema de ar.

Quando fazer a manutenção?

A manutenção do ar-condicionado automotivo – com troca de filtro de ar e higienização completa – deve ser feita a cada 6 meses. Se você costuma viajar bastante em estradas de chão, vale a pena verificar o desempenho do filtro de ar com mais frequência, já que a entrada de poeira será excessiva. O mesmo vale se você costuma transportar o seu pet no veículo, pois os pelos deles podem acabar concentrando mais bactérias no filtro do ar.

E, claro, é importante sempre lembrar que todos esses itens também serão verificados durante a sua revisão programada, que é de extrema importância para a “saúde” do seu carro.

Agora você já entende a importância da manutenção do ar-condicionado automotivo e sabe quando fazê-la, certo? A DRS CAR conta com uma equipe especializada, que vai poder tirar todas as suas dúvidas. Aqui, garantimos o bom funcionamento do seu carro e a segurança da sua família. Por isso, não deixe de entrar em contato e solicitar um orçamento!

Revisão de Férias: dicas para relaxar com segurança - DRS Car | DRS Car - Serviços Automotivos

O que fazer quando a luz da injeção eletrônica acende?

Luz da injeção eletrônica em painel automotivo

Fonte: Margojoyo

As luzes do painel indicam possíveis problemas que possam estar acontecendo no veículo, causados pelos mais diversos motivos. Algumas delas não aparecem sempre por ali e, por isso, quando acendem, podem causar algumas inquietações por não saber como proceder diante deste indicativo. A luz de injeção eletrônica é uma delas!

Essa luz acendeu no painel do seu carro e você não sabe o motivo? Então imaginamos que você possa estar um pouco apreensivo. Pensando nisso, trouxemos algumas informações para você saber o que fazer quando a luz da injeção eletrônica acende. Confira:

Para que serve o sistema de injeção eletrônica?

A injeção eletrônica tem como principal objetivo melhorar o rendimento do motor com economia. Essas melhorias só são possíveis quando se atinge uma combinação perfeita de ar e combustível, em todas as faixas de rotação. Outras funções que se tem são o controle do tempo de ignição, o controle da marcha lenta e o comando das válvulas.

O sistema apresenta diversos benefícios como partidas mais rápidas, menor emissão de gases e melhoria no consumo e no rendimento do motor. Por isso, é importante que a injeção eletrônica esteja sempre funcionando bem e continue auxiliando e otimizando o carro em todos esses pontos.

O que a luz acesa quer dizer?

Na maioria dos casos, a luz acende quando você gira a chave na ignição, pois neste momento é feita uma leitura para identificar os possíveis problemas no sistema de injeção eletrônica. Portanto, sabendo das funcionalidades desse sistema, você deve ter imaginado que, quando a luz está ligada, quer dizer que algum destes pontos não está indo bem.

Vale ficar atento: a luz de injeção eletrônica acende quando há uma falha nesse sistema, ou seja, é um alerta! Se a luz apenas acender ou permanecer acesa, você ainda não precisa ficar desesperado. Mas se a luz ficar piscando no painel, a situação pode ser mais grave. Em ambos os casos, é sempre recomendado que você procure um profissional assim que for possível!

Alguns dos sintomas das irregularidades do funcionamento do sistema de injeção eletrônica que podem estar aparecendo são, por exemplo:

  • Dificuldade na partida do carro;
  • Aumento excessivo de consumo de combustível;
  • Perda de potência;
  • Aceleração da marcha lenta.

Saiba o que fazer

Quando este tipo de alerta aparece, é importante dar atenção ao que o seu veículo está te mostrando, pois é um indício muito claro de que algum problema está acontecendo. Portanto, o melhor a fazer é procurar um profissional o mais breve possível, para que o carro seja revisado e você obtenha o diagnóstico correto e não cause maiores problemas!

Lembre-se que o mais importante é confiar o seu carro nas mãos de bons profissionais! Para garantir um atendimento ágil e de qualidade, você pode contar com a equipe de profissionais especializados da DRS CAR. Confira como funciona a nossa Revisão Programada e solicite um orçamento!

Revisão de Férias: dicas para relaxar com segurança - DRS Car | DRS Car - Serviços Automotivos

Revisão 50 mil km: como funciona?

Homem com prancheta realizando anotações sobre carro em oficina mecânica

Fonte: Cultura Mix

Você já deve ter ouvido falar sobre a importância da revisão periódica do seu veículo. Nela, como o próprio nome já indica, é revisada a situação das peças e do desempenho do carro após um determinado tempo de uso. Afinal, ninguém quer ficar parado na rua por algum defeito do carro, não é? É justamente para evitar este tipo de problema que a revisão é feita.

Quando o carro está chegando – ou já chegou – nos 50 mil km rodados, é indispensável fazer uma revisão. O motivo é bastante lógico: o desgaste do veículo é bem maior depois de todos esses quilômetros e é preciso evitar surpresas desagradáveis.

Para que você entenda melhor a avaliação que seu carro vai passar, nós, aqui da DRS CAR, vamos explicar como funciona a revisão 50 mil km. Confira!

O que vai ser revisado?

Levando em consideração o que foi analisado nas revisões anteriores, o funcionamento de alguns itens pode ficar mais prejudicado após algum tempo e, por isso, devem ganhar atenção especial na revisão 50 mil km.

Só para você ter uma ideia, listamos alguns dos serviços que realizamos aqui na Revisão Programada DRS CAR, por exemplo:

  • Troca de óleo com filtro: esse é um dos procedimentos mais importantes para a vida útil do motor! E vale lembrar que não adianta trocar o óleo e deixar o filtro velho, pois é ele que vai impedir a circulação de impurezas pelo motor;
  • Troca do filtro de ar e combustível: para evitar que as impurezas cheguem à bomba de combustível, à câmara de combustão e, consequentemente, ao motor;
  • Higienização do ar-condicionado com filtro: para manter o ar-condicionado em bom funcionamento e cuidar de sua saúde, pois o filtro de ar-condicionado hospeda ácaros e bactérias;
  • Geometria computadorizada 3D e Balanceamento: para melhorar a dirigibilidade e a estabilidade do veículo, aumentando a vida útil dos pneus;
  • Limpeza completa do Sistema de Alimentação de Combustível: esse procedimento retira impurezas que possam prejudicar a queima de combustível, fazendo com que o veículo perca potência e aumente o consumo;
  • Limpeza do Corpo de Borboleta: otimiza a entrada de ar na admissão do motor, fazendo com que o ar entre só quando necessário. Além disso, mantém a marcha lenta regulada e inibe o consumo elevado de combustível;
  • Leitura e programação da Central Eletrônica: procedimento relacionado à injeção eletrônica e sua otimização;
  • Anel de vedação: para vedar o bujão do carter e garantir que o óleo não vazará após a troca;
  • Cristalização de para-brisa: faz com que a água da chuva escorra mais rápido, aumentando sua visibilidade. Auxilia também na durabilidade e vida útil das palhetas do para-brisa.

Preciso esperar os 50 mil km para revisar o carro?

Dependendo do uso que você faz do seu veículo, principalmente se você trabalha ou viaja muito com ele, será necessário dar atenção a todos estes itens muito antes dos 50 mil km rodados. O ideal é que sejam feitas revisões a cada 6 meses ou a cada 10 mil km, já que todos estes são pontos importantes para o bom funcionamento do seu veículo.

E, claro, é sempre importante depositar o seu carro em mãos que você confie! Para garantir um atendimento ágil e de qualidade, no momento que você necessitar, pode contar com a equipe de profissionais especializados da DRS CAR. Confira como funciona a nossa Revisão Programada e solicite um orçamento!

Revisão de Férias: dicas para relaxar com segurança - DRS Car | DRS Car - Serviços Automotivos

Quantos km dura pastilha de freio?

Imagem mostrando pastilha de freio de carro

Fonte: 4tunning

A pastilha de freio é uma peça de extrema importância para a segurança do condutor e dos passageiros de um veículo. Trata-se da parte do sistema de frenagem que é responsável por pressionar o disco quando o freio é acionado, fazendo o carro parar. E, como qualquer outra peça automotiva, a pastilha de freio também tem uma vida útil e deve ser trocada de tempos em tempos.

Acontece que muitos motoristas não sabem ao certo quantos Km dura pastilha de freio e como saber que chegou a hora de trocar essa peça. Se esse é o seu caso, não se preocupe! Nós, aqui da DRS CAR, separamos algumas dicas para que você entenda melhor. Confira!

Quanto dura uma pastilha de freio?

Como você deve imaginar, a vida útil de uma pastilha de freio pode variar de acordo com diversos fatores. Em primeiro lugar, leva-se em consideração as orientações vindas do manual do fabricante do seu veículo. Ali, normalmente vem indicada uma quilometragem específica para realizar a revisão do sistema de freio e, se preciso, a troca das pastilhas.

Claro, essa quilometragem pode variar de montadora para montadora, mas em geral recomenda-se fazer uma manutenção preventiva a cada 10 mil km. Na prática, a pastilha de freio pode durar menos (e às vezes até mais) que o esperado, dependendo principalmente da forma que você usa o seu veículo no dia a dia. Mas tenha em mente que, por volta dos 30.000 a 40.000 Km a troca será inevitável.

Na imagem, pastilha de freio de carro desgastada.

Fonte: Cultura Mix

E além da vida útil estimada, é importante estar atento aos sinais de desgaste precoce da pastilha e do sistema de freio como um todo. Alguns carros são equipados com um indicador no painel que mostra que a pastilha está gasta e deve ser trocada. Mas, para quem não conta com esse sistema, uma boa forma de saber se há problemas é pela audição.

Sim, é isso mesmo. Quando a sua pastilha começar a apresentar desgaste geralmente pode-se notar um barulho estranho toda vez que acionar o freio, algo parecido com um ruído metálico. Se isso acontecer, é um bom indício de que chegou a hora de trocar a pastilha do freio.

O que se deve fazer então?

Bem, agora que você já sabe em média quantos km dura pastilha de freio, a melhor forma de saber que não tem mais jeito e ela deve ser trocada é fazendo uma revisão programada. A manutenção preventiva é essencial para garantir a sua segurança e só mesmo um especialista de sua confiança poderá analisar o sistema de freio do seu carro e determinar o melhor caminho.

Aqui, na DRS CAR, contamos com uma equipe altamente especializada que está a sua disposição para melhor atendê-lo e tirar todas as suas dúvidas. Precisando trocar a sua pastilha de freio ou qualquer outro tipo de revisão no seu veículo, conte conosco e solicite um orçamento!

Revisão de Férias: dicas para relaxar com segurança - DRS Car | DRS Car - Serviços Automotivos

Melhor óleo para motor: saiba como escolher!

Na imagem, conteúdo de embalagem de óleo para motor sendo despejado.

Fonte: UDN

O óleo lubrificante é um componente muito importante na manutenção de um carro. É ele que vai garantir o bom funcionamento do seu motor, diminuindo o atrito entre as peças e evitando o desgaste precoce. Além de várias outras vantagens, como manter a temperatura ideal e a limpeza dos componentes, prevenindo a corrosão.

É por esses e outros motivos que, quando chega a hora de trocar o óleo do seu carro, é indispensável contar com lubrificantes de qualidade. Quer saber como escolher o melhor óleo para motor? Então confira as dicas que nós, aqui da DRS CAR, separamos para você!

Você também pode gostar de: Troca de óleo – teoria e prática!

Como saber qual é o melhor óleo para o motor do meu carro?

O primeiro passo para descobrir qual é o óleo ideal para o motor do seu veículo. Parece até meio óbvio, mas é muito importante: checar o manual do proprietário. Afinal, ninguém entende melhor sobre o seu carro e o que ele precisa do que o fabricante, não é mesmo? Nesse manual, você encontra informações muito importantes que vão ajudar na escolha, como:

  • o tipo de óleo ideal (mineral, sintético ou semissintético);
  • os testes de viscosidade (sigla SAE);
  • e o desempenho do óleo (sigla API ou ACEA);

Para ficar ainda mais fácil, nós, da DRS CAR, vamos explicar um pouco mais o que é cada um dos itens acima e como identificá-los. Confira abaixo!

Na imagem, óleo sendo despejado em motor de carro

Fonte: Fortune

Tipos de óleo

A primeira coisa que você deve saber sobre o lubrificante do seu carro é o tipo de material que ele deve ser feito. Basicamente, existem três tipos com características e funcionalidades diferentes:

  • Óleo mineral: é obtido pela separação de componentes do petróleo, resultando em uma mistura de vários compostos. Possui preço mais em conta que os outros tipos, mas não é o mais utilizado.
  • Óleo sintético: feito a partir de reações químicas, o que permite um maior controle na fabricação e a obtenção de produtos mais puros. Costuma funcionar melhor tanto em baixas como em altas temperaturas. Aliás, esse é o tipo de óleo mais recomendado pelas montadoras!
  • Óleo semissintético: basicamente é aquele que mistura proporções dos dois tipos, mineral e sintético. Assim, é possível reunir as melhores características de cada um com ótimo custo-benefício.

Teste de Viscosidade (SAE)

No manual, você também encontra uma especificação sobre o tipo de viscosidade que o óleo deve ter. Essa informação é indicada pela sigla SAE (de Society of Automotive Engineers), seguida por dois números separados por um W (exemplo: SAE 5W40).

São eles que indicam a temperatura mais baixa e mais alta que o óleo suporta, evitando o consumo excessivo ou o baixo desempenho.

Teste de Desempenho (API ou ACEA)

Outras duas especificações que podem classificar o desempenho do óleo para motor são as das siglas API e ACEA. A API pode ser classificada em SN, SM, SL, SJ, etc. Já a ACEA, em carros de passeio, é representada pela letra A seguida de números que indicam o tipo de motor e o uso.

Com essas informações em mãos, é possível saber qual melhor óleo para motor que atenderá às exigências do seu modelo e promoverá lubrificação na medida exata! E quando precisar de uma troca de óleo, lembre-se de contar com a ajuda de profissionais especializados.

Aqui, na DRS CAR, nossa maior preocupação é com a integridade do seu veículo e com a sua segurança. Quer saber mais sobre os nossos serviços? Entre em contato e solicite um orçamento!

Revisão de Férias: dicas para relaxar com segurança - DRS Car | DRS Car - Serviços Automotivos

Meu carro não dá partida! O que pode ser?

Homem dando partida em carro

Fonte: CarWise

Você precisa ir a um lugar importante, então entra no seu carro, vai virar a chave na ignição e: nada, ele não liga! Após várias tentativas, você está prestes a entrar em desespero e já começa a pensar: “meu carro não dá partida! E agora, o que pode ser? O que eu faço?”.

Bem, primeiramente, você deve manter a calma e investigar o que pode estar causando esse problema. É para ajudar você em casos como esses que nós, aqui da DRS CAR, separamos algumas dicas de situações que podem fazer o seu carro não dar partida. E, mais importante, como solucioná-las! Confira abaixo!

Meu carro não dá partida: entenda o que pode ser!

Pode parecer óbvio, mas quando um carro não dá partida, esse é o maior indício de que algo está errado. Existem diversas situações que podem impedir que o seu veículo funcione corretamente, desde coisas simples como falta de gasolina até problemas com a bateria.

Veja abaixo alguns dos principais motivos que podem estar atrapalhando a partida do seu veículo e como identificá-los:

1 – A chave não vira

Você tentou dar partida no seu carro, mas a chave nem ao menos girou na ignição? Em geral, pode ser porque a direção está bloqueada por algum problema com as rodas dianteiras (que podem estar desviadas ou empurradas contra algo). Neste caso, basta apenas girar a direção até destravá-la e, enfim, conseguir dar partida.

Se isso não adiantar, e continuar não girando, pode ser que tenha um problema com a fechadura da ignição ou mesmo com a própria chave. Isso pode ser causado pelo desgaste desses elementos com o uso diário, e basta trocá-los para resolver o problema.

2 – As luzes do painel não acendem

Você conseguiu girar a chave na ignição, mas percebeu que, além de não dar partida, as luzes do painel de instrumentos não acenderam? Então é bem possível que o seu problema seja com a sua bateria, que não está fornecendo energia suficiente para ligar o carro e seus componentes elétricos.

Pode ser que você tenha deixado alguma luz ou aparelho ligado durante muito tempo e a bateria tenha descarregado, ou mesmo que ela tenha chegado ao fim da sua vida útil e chegou a hora de trocá-la!

Veja como é possível saber quando trocar a bateria do carro!

3 – Não há nenhum ruído ao girar a chave

Outro caso muito comum de falhas na hora de dar a partida no automóvel é quando giramos a chave na ignição e não é possível ouvir nenhum ruído que sinalize o acionamento do motor. Isso quer dizer que, provavelmente, o interruptor de ignição está estragado, não conseguindo transmitir o sinal elétrico para que o motor funcione.

4 – A luz de “segurança” ou em formato de chave acende no painel

Alguns carros são equipados com um sistema de segurança ou imobilizador que só permite que ele dê partida quando se usa a chave correta. Esse sistema é acionado por um chip eletrônico que as chaves possuem. Portanto, se o carro não der partida e acender no painel uma luz em formato de chave ou de segurança, isso quer dizer que ele não está reconhecendo o chip ou que há algum problema com o sistema.

Essas são apenas algumas das situações mais comuns que podem causar falhas na partida de um carro. Independente da causa, é importante sempre contar com a ajuda de profissionais especializados que possam identificar e solucionar esses problemas quando eles aparecem.

É para evitar que esses incômodos aconteçam que nós, aqui da DRS CAR, sempre recomendamos aos nossos clientes a realização de uma revisão programada! Quer saber mais? Entre em contato conosco e solicite um orçamento!

Revisão de Férias: dicas para relaxar com segurança - DRS Car | DRS Car - Serviços Automotivos

Qual a melhor bateria para carro?

Homem segurando bateria Moura

Fonte: Moura

A bateria é a peça que garante a energia necessária para o carro dar partida e para o funcionamento de todos os componentes elétricos. Por se tratar de um item tão vital para o automóvel, é importante ter cuidado redobrado na hora de trocar a bateria! Afinal, somente um produto de qualidade pode oferecer o desempenho e segurança que você precisa.

Para ajudar você a decidir qual a melhor bateria para o seu carro, separamos abaixo o que você deve levar em consideração antes de bater o martelo da compra. Confira e descubra como fazer o seu investimento em bateria automotiva valer a pena!

Continue lendo

Revisão de Férias: dicas para relaxar com segurança - DRS Car | DRS Car - Serviços Automotivos

Quanto tempo dura a palheta do limpador de parabrisa?

Pessoa segurando palheta de limpador de parabrisa

Fonte: All State

Para quem não sabe, a palheta é aquela parte com borracha no limpador de parabrisa que é responsável pela limpeza do vidro. Esse acessório é considerado um item indispensável para a segurança do condutor e passageiros, mas também não é à toa. Afinal, é ele quem permite uma visão nítida do trânsito mesmo em péssimas condições climáticas, principalmente durante dias chuvosos.

Quando essa peça começa a apresentar desgaste, além de perder eficiência na limpeza, pode inclusive causar danos ao braço do motor elétrico que faz o limpador se movimentar, parando de funcionar por completo. Isso acontece porque muitas pessoas não sabem quanto tempo dura a palheta do limpador de parabrisa e demoram para perceber os sinais de desgaste.

Para ajudar você a evitar esses transtornos, nós da DRS CAR separamos algumas dicas para você entender melhor o que pode diminuir a vida útil da palheta e o que se deve fazer. Confira!

Continue lendo