Suspensão de carros: como funciona e quando trocar? Blog DRS CAR |

DRS Car – Serviços Automotivos

20 anos de experiência em mecânica automotiva

DRS Car – Serviços Automotivos - 20 anos de experiência em mecânica automotiva
Suspensão de carros: como funciona e quando trocar? Blog DRS CAR |

Suspensão de carros: como funciona e quando trocar?

Supensão de carros: Como funciona?

Fonte: Autoportal

A suspensão dos carros é um mecanismo com componentes responsáveis pelo bom desempenho do veículo nas ruas e estradas. Como, por exemplo, manter a estabilidade, evitando as trepidações e oscilações, e garantir que as rodas permaneçam em contato com o solo. Mas você sabe exatamente como funciona esse sistema?

Abaixo, explicamos melhor sobre o funcionamento da suspensão e seus componentes, além de ajudar você a entender quando chegou a hora de trocar cada um deles. Confira!

Como funciona a suspensão?

Para começar, tenha em mente que, para cada modelo de veículo, existe um tipo de suspensão. Ao todo, são três opções:

  • Suspensão independente: cada uma das rodas sofre os impactos das irregularidades do solo de forma isolada, sem repassar para outra do mesmo eixo;
  • Suspensão semi-independente: uma parte dos impactos é transferida de uma roda para a outra;
  • Suspensão dependente: os movimentos de uma roda são compartilhados com a outra do eixo.

Sabendo sobre esses modelos, agora é interessante entender quais são as peças que compõem as suspensões, para que elas servem e quando é necessário a troca de cada uma:

Suspensor e o quê compõe

Molas e amortecedores

As molas e amortecedores têm suas funcionalidades interligadas. No caso da mola, além de ser flexível para impedir que as irregularidades afetem o desempenho, ela influencia na altura do carro. E o amortecedor é essencial para atuar em conjunto com as molas para suavizar os impactos e estabilizar o veículo.

Como vemos na imagem acima, temos o coxim do amortecedor, que serve ainda para sustentar esse componente e fixá-lo no carro.

Braço Oscilante e Pivô de Suspensão

O braço oscilante, também conhecido como bandeja ou balança de suspensão em alguns modelos, é o componente responsável por apoiar a coluna da suspensão, que é articulável. Já a função do pivô é auxiliar o movimento (sobe e desce) da coluna de suspensão, ou seja: ele colabora com o bom desempenho do braço oscilante.

Barra Estabilizadora

A barra estabilizadora liga uma coluna de suspensão até a outra, sendo presa à carroceria por buchas e às colunas por bieletas (hastes que ligam a barra estabilizadora à suspensão do veículo). Isso ajuda a equilibrar o carro e evitar acidentes em retas e curvas com alta velocidade.

Como saber o momento certo de realizar a troca?

Em geral, a revisão para troca ou manutenção dos componentes desgastados da suspensão é feita quando o veículo atinge os 40 mil quilômetros rodados, ou conforme a recomendação do fabricante. Geralmente, o motorista deve ficar atento a possíveis barulhos e ruídos vindos da suspensão, pois isso também serve como indicativo de que algo está errado e precisa de uma revisão.

Além disso, existem alguns sinais específicos que podem indicar problemas em um ou mais componentes da suspensão, como por exemplo:

  • Mola e amortecedor: quando o carro apresenta falha na estabilidade ou aparentar estar mais baixo do que antes, é um sinal de que está na hora de trocar um desses componentes (ou ambos).
  • Braço oscilante: é interessante observar se algo está diferente ao manejar a direção (principalmente ruídos ao mexê-la). Isso pode indicar que as buchas (que ligam o braço a carroceria) podem estar gastas ou danificadas.

Pela importância do sistema de suspensão para o bom funcionamento do seu carro, é recomendado que se faça revisões preventivas para garantir que está tudo certo. Quer saber mais sobre o serviço? Então confira esse conteúdo sobre O que é Revisão Automotiva e entenda os cuidados que oferecemos aqui na DRS CAR para deixar seu automóvel sempre em dia e manter a segurança da sua família!

Suspensão de carros: como funciona e quando trocar? Blog DRS CAR |

Como escolher o pneu ideal para o meu carro?

Como escolher o pneu para o seu carro?

Fonte: Freepik

Os pneus são fundamentais para a dirigibilidade, mas principalmente para a segurança dos veículos. Isso porque é a partir deles que a estabilidade e frenagem acontecem de forma correta. E, como são as peças que entram em contato direto com o solo, se desgastam mais rapidamente, precisando de revisões e trocas periódicas.

Para cada veículo, há algumas especificações importantes, por isso vamos mostrar como escolher o pneu ideal para o seu carro. Confira!

Antes de tudo, entenda as informações do pneu

Talvez você não saiba, mas todos os pneus trazem um código de letras e números escrito na sua estrutura. Esse código descreve várias informações, entre elas o tipo de pneu e os seus limites. É muito importante saber ler e entender essa informações para realizar a compra certa.

Como ler o código

Como ler o código

Fonte: Linkedin

Essas letras e números, demonstradas na imagem, ficam em relevo no próprio pneu, basta procurá-las perto da roda. Entenda o que significa cada parte do código a partir do exemplo ilustrado acima:

P – A primeira letra significa em que tipo de veículo o pneu pode ser usado. A maioria dos pneus vem com a letra P, que significa “passengers”. Ou seja, é um veículo de passeio (aqui se enquadram carros, minivans, pick-ups leves e algumas SUVs). Ainda existem outras letras como:

  • ST (Special Trailers), para reboques que transportam barcos ou jet-skis e para motorhomes;
  • C (Comercial), para caminhões ou vans que carregam cargas muito pesadas;
  • LT (Light Trucks), para caminhões leves, vans, furgões e SUVs.
  • T (Temporary Spare), para servir de estepe, pois são mais finos e rodam poucos quilômetros.

175 / 70 – O número que vem logo após a letra informa o tamanho do pneu. O 175 significa a largura (sempre em milímetros) e o 70, que vem depois da barra que separa os dois números, indica que a altura do pneu tem 70% da sua largura. Logo, dependendo do número, é só fazer a conta!

R – Essa letra significa de que forma o pneu foi fabricado. Nesse caso (e na maioria, pois é raro se usar outro tipo), a construção foi radial.

14 – Aqui se fala do raio da roda, sempre em polegadas. É importante dar muita atenção a esse número e comprar o pneu com o raio correto. No Brasil, os mais comuns são 13, 14, 15, 16 e 18.

86V – Por fim, a última parte do código indica os índices de carga e velocidade, respectivamente. Isso mostra a carga que o veículo pode carregar e a velocidade máxima a que ele pode ser submetido. Esses índices podem ser entendidos a partir das tabelas abaixo:

Indice de carga e velocidade

Fonte: DocPlayer

Indice de velocidade

Fonte: DRSCAR

 

Como escolher?

Como escolher o pneu ideal para seu carro

Fonte: Freepik

A partir das informações que você verificou acima, você já sabe que são várias especificações que influenciam na escolha do pneu certo. Por isso, na hora de escolher, verifique as especificações dos pneus originais do seu carro e adquira os novos com a mesma especificação.

Para fazer a compra certa, confira Qual a melhor marca de pneu?

Lembre-se: escolher o pneu ideal para o seu carro faz total diferença, tanto para o seu próprio conforto ao dirigir, quanto para a sua segurança e de todos os passageiros, por conta da estabilidade e frenagem.

Agora basta conferir qual a melhor marca de pneu para fazer a escolha certeira e equipar o seu veículo com performance e muita qualidade! Boa sorte!